Deu ruim: Felipe Neto vai ter que depor à Polícia por chamar Bolsonaro de genocida


Youtuber publicou uma foto do mandado de intimação em sua conta no Twitter

O youtuber Felipe Neto foi intimado nesta segunda-feira, 15, a comparecer à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática da Polícia Civil do Rio para prestar depoimento no âmbito de procedimento que o investiga sob acusação de ter praticado calúnia e crimes contra a segurança nacional. Segundo Neto, a acusação diz respeito à ocasião em que ele chamou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de "genocida".

Neto publicou uma foto do mandado de intimação em sua conta no Twitter. Em texto que acompanha a imagem, o youtuber afirma que o delegado autor da intimação, Pablo Dacosta Sartori, seria o mesmo oficial a quem o vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente, teria acusado Neto de "corrupção de menores".

"Um carro da polícia acaba de vir na minha casa. Trouxeram intimação para que eu compareça e responda por crime contra segurança nacional porque chamei Jair Bolsonaro de genocida. Jair Bolsonaro de genocida. Carlos Bolsonaro foi no mesmo delegado que me indiciou por corrupção de menores. Sim, é isso mesmo", disse Felipe, lembrando que, na semana passada, o vereador abriu uma queixa-crime contra a atriz Bruna Marquezine e ele por supostos crimes de difamação contra o presidente.

OPINIÃO PORTAL 57

Demorou muito para Felipe Neto ser intimado e ter que se explicar sobre o que posta nas redes sociais para deturpar menores e agora dando uma de ‘comentarista político’ a serviço da esquerda. Mas os seus amigos do STF como o ministro Luiz Roberto Barroso – qual já fizeram live juntos – irá salvá-lo caso esse inquérito vire processo e suba a instâncias superiores.

Postar um comentário

0 Comentários