E aí Alexandre de Moraes? Grupo teatral esquerdista vai lançar peça sugerindo a morte de Bolsonaro


O grupo esquerdista carioca Blabonga Cia Teatral, segundo o portal Diário do Rio, vai lançar a peça teatral “Precisamos matar o presidente”, do diretor e ator Davi Porto.

De acordo com o site, os organizadores do evento visam expandir um modelo de encenação virtual para apresentar ao público, a partir do dia 06 de março.

O conteúdo será transmitido online através da plataforma Doity.

Dessa vez, sob pretexto de manifestação artística e cultural, o grupo mira no atual governo, sob comando do presidente Jair Bolsonaro.

“O espetáculo assim como qualquer outra arte nasce de uma necessidade. Seja ela financeira, romântica ou existencial. A pandemia acabou unindo todas essas necessidades que juntas ultrapassaram toda a relutância que existia de levar o teatro para o mundo virtual. Somada a necessidade surgiu o descaso do governo atual, que ainda transformou cada artista em inimigo do estado”, disse o diretor da obra, Davi Porto, ao Diário do Rio.

Cartaz da peça teatral que pede a morte de Bolsonaro:


E acrescentou:

“Eu acredito que na vida política tem muito aquela coisa de você repudiar as pessoas, de você discordar das pessoas. Isto é uma ordem natural, mas de repente tudo que restou foi o ódio. Entender esse ódio, esse sentimento e a relação com a vida dos artistas foi algo que me cativou. A ideia não é matar o presidente. A ideia não é matar ninguém. A ideia é transformar essa força, esse ódio, esse sentimento motriz em algo como o teatro.”

Reação

O Secretário Nacional de Fomento à Cultura do Governo Federal, André Porciúncula, usou as redes sociais para repudiar a peça teatral. Segundo ele, esse tipo de conteúdo tem sido promovido por ausência de dinheiro público, que em gestões anteriores eram disponibilizadas sem tanto rigor fiscal.

“Eis o tipo de ‘peça’ que uma elite militante doentia (agora desesperada com a perda do dinheiro público) promoveu na cultura nas últimas décadas. O resgate cultural será lento e trabalhoso, mas devolveremos a cultura a sanidade dos valores do homem comum”, declarou.

Lei de Segurança Nacional

A exposição da peça teatral ‘Precisamos Matar o Presidente’ deve reacender um debate ainda mais aprofundado sobre Lei de Segurança Nacional.

Recentemente, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, usou como base a Lei de Segurança Nacional para ordenar a prisão de Daniel Silveira, deputado federal do PSL, detido no dia 16 deste mês após publicar um vídeo atacando todos os ministros da Corte. No conteúdo divulgado em suas redes sociais, o parlamentar disse que os onze ministros do Supremo deveriam ser destituídos do cargo, além de outros ataques.

Um dos artigos citados da lei, citado por Moraes, foi o 18, que classifica como crime o ato Um dos artigos citados da lei, citado por Moraes, foi o 18, que classifica como crime o ato de “tentar impedir, com emprego de violência ou grave ameaça, o livre exercício de qualquer dos Poderes da União ou dos estados”.

Via Conexão Política

Postar um comentário

1 Comentários