Bolsonaro acusa que Dallagnol e procuradores em mensagens, queriam perseguir a sua família


"A perseguição à família Bolsonaro se mostra em vários diálogos”, escreve Bolsonaro.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou, nesta sexta-feir, 26, que “vários diálogos” entre o procurador Deltan Dallagnol, ex-coordenador da operação “Lava Jato”, e membros do Ministério Público demonstram “perseguição à sua família”.

Em publicação nas redes sociais, Bolsonaro aponta uma “tentativa de cooptar o entorno do Presidente da República para a escolha do PGR (procurador-geral da República) em 2019”.

O chefe do Executivo citou como fonte um texto do site “Agora Paraná”, que é assinado por Sandra Terena, ex-secretária do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, comandado por Damares Alves.

“A perseguição à família Bolsonaro se mostra em vários diálogos entre Dallagnol e membros do MP”, escreveu Bolsonaro.

“Dallagnol querer dizer ser brincadeira tais diálogos demonstra querer fugir de sua responsabilidade. Os diálogos do vazamento da família ocorreram em 2019, onde Bolsonaro já era Presidente da República. ISSO É CRIME!”, afirma o presidente.

Postar um comentário

0 Comentários