Fabiane Rosa escapa da cassação na Câmara de Curitiba

Fabiane Rosa (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)

Com certeza as gestões de Serginho do Posto (DEM) e de Sabino Picolo (DEM) serão marcadas como as da impunidade, onde duas vereadoras foram denunciadas por “rachadinhas”, Kátia Dittrich (SD) foi condenada em primeira instância e a Fabiane Rosa foi presa, e os processos delas não chegaram ao plenário por diferentes motivos.

A de Fabiane aconteceu com os pedidos de vistas dos não reeleitos Paulo Rink (PL), Geovane Fernandes (Patri) e Rogério Campos (PSD) na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar e pelo encerramento da legislatura em 15 de dezembro.

Com a manobra, somada a falta de vontade dos vereadores de fazerem sessões extras, Fabiane sai sem punição e a as vereadoras da causa animal são candidatíssimas a terem cargos públicos a partir de 2021.

No início do processo, Fabiane chegou a falar em denunciar outros vereadores que teriam adotado o mesmo padrão de arrecadação.

A impressão que fica é que existem outros casos na Câmara Municipal de Curitiba, o Ministério Público do Paraná (MP-PR) já investigou vários vereadores, mas não conseguiu concluir por algum motivo ou por não ter seguido a rota do dinheiro, como Elliot Ness fez para pegar Al Capone, nos anos 30.

Via Blog do Tupan

Postar um comentário

0 Comentários