São José dos Pinhais: Candidatos alegam suspeita de fraude nas eleições para vereador


Em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, as discussões que podem ter ocorrido fraude nas eleições para vereador vem ganhando força dia a dia nas redes sociais, com comentários de eleitores que afirmaram que votado massivamente em candidatos e seus votos não apareceram.

Candidatos de várias siglas, mas todos ligados ao bolsonarismo, estão reclamando Brasil afora que seus votos foram diminuídos após as primeiras parciais divulgadas pelo TSE no último domingo, 15. Em São José, cerca de cinco candidatos afirmam terem passado por esta situação.

Um exemplo de quem está passando nesta situação é o conhecidíssimo Amaury Castanho de São José dos Pinhais. Com números expressivos de seguidores e com quantidades astronômicas de compartilhamentos nas redes sociais, ele recebeu 1.300 mensagens de pessoas confirmando seus votos e de seus familiares para ele. No momento da apuração, apareceu somente com 426 votos.

“Uma pessoa que não posso revelar sua identidade, afirmou que viu mais de 1.000 votos nos boletins de urna. Esse resultado apresentado no final da apuração não bate”, diz Amaury.                                       

Amaury alega que por ter sido marqueteiro do Sargento Fahur nas eleições de 2014 e assessor na esferas federal e estadual no Legislativo e Executivo, não é compatível o resultado dos votos divulgados pela Justiçe Eleitoral no último domingo. “Recebi mais de 1.300 mensagens de pessoas dos mais diversos segmentos que confirmam que votaram em mim”, alega.

Amaury Castanho foi candidato a vereador em São José dos Pinhais pelo PMN

Suspeita de fraude repercute na grande mídia 

O sites do O Globo e do A Tarde, revelaram nesta sexta-feira, 20, que dados do TSE foram roubados por hackers. 

O ataque hacker que expôs dados de servidores do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) acessou, inclusive, os dados de 2020 e não apenas os de anos anteriores, como havia sido divulgado anteriormente. As informações são do jornal O Globo.

Ainda segundo o jornal, uma investigação conduzida pela Polícia Federal (PF), com colaboração do próprio TSE, apontava que os dados eram antigos - do período entre 2001 e 2010. No entanto, entre as informações vazadas, já se sabe que há dados de funcionários referentes a este ano.

De acordo com as investigações, o ataque deve ter ocorrido antes de 1º de setembro e, além disso, tudo indica que o ataque foi realizado a partir de Portugal. A PF segue apurando se existe um movimento coordenado para atingir e também desacreditar o processo eleitoral.

No último domingo, 15, conforme registrou o Conexão Política, uma tentativa de ataque foi registrada para derrubar o site do TSE.

Já na segunda-feira, 16, em entrevista coletiva, o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, reclamou da atuação de “milícias digitais”.

"Há suspeita de articulação de grupos extremistas que se empenham em desacreditar eleições, clamam pela volta da ditadura e muitos deles são investigados pelo STF", afirmou Barroso.

Fonte: http://atarde.uol.com.br/brasil/noticias/2146928-ataque-hacker-no-tse-roubou-dados-de-2020

Postar um comentário

0 Comentários