Curitiba: Guarda Municipal cerca Prefeitura após liminar proibindo protesto de comerciantes

Guarda Municipal e Policia Militar presentes impedem manifestação de comerciantes e empresários (Foto: Banda B)

A Guarda Municipal cercou a Prefeitura de Curitiba para evitar manifestações, e consequentes aglomerações, no Centro Cívico. Para a tarde desta segunda-feira (15) estava prevista uma manifestação de empresários do ramo de gastronomia e entretenimento. O objetivo deles é protestar contra o fechamento de bares e casas noturnas, medida que foi tomada após a adoção da bandeira laranja na capital paranaense.

O presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar), Fabio Aguayo, afirmou que foi notificada da decisão e que dispersou os manifestantes. “Nós respeitamos leis, respeitamos protocolos e vamos cumprir a decisão. Os empresários estão fazendo um sacrifício para sobreviver e quando guerra é declarada, não é contra a prefeitura, mas sim pela sobrevivência”, disse.

Mesmo entendendo a suspensão de manifestações por uma semana é boa, Aguayo também informou que a categoria deve recorrer da decisão.

Bandeira laranja

Ao ser questionado sobre as medidas adotadas com a bandeira laranja, o presidente da Abrabar pediu um “passo atrás” da administração municipal. “Acreditamos que a prefeitura vai voltar atrás e queremos um bom entendimento para todos. Até porque eles mandam fechar, mas não dão nada em troca. Então como fazemos? Vão anular o IPTU, e o ISS, vai ter auxílio emergencial aos empresários”, questionou.

Liminar

A Justiça do Paraná determinou a suspensão de manifestações que incentivem a aglomeração de pessoas na capital. A decisão liminar da juíza Gabriela Scabello Milazzo abrange o período de uma semana – das 12h desta segunda-feira (15/6) até as 12h do dia 22 de junho, sob pena de multa diária de R$ 10 mil aos organizadores.

A decisão da Justiça também estipula multa de R$ 1 mil para cada manifestante, comprovação que pode ser feita “inclusive por fotografia ou filmagens de pessoas ou placa de veículo”, conforme consta no documento obtido pela Prefeitura. De acordo com a juíza, os valores devem ser transferidos ao combate à covid-19 no município.

Via Banda B

Postar um comentário

0 Comentários