Assembleia restringe acesso e adota novas medidas de prevenção ao coronavírus

Luiz Cláudio Romanelli e Ademar Traiano (Foto: Dálie Felberg/Alep)

Assembleia Legislativa do Paraná vai adotar medidas mais rigorosas de prevenção e controle da covid-19, permitindo a entrada apenas para servidores e diminuindo o número de funcionários que estão trabalhando de forma presencial nos gabinetes dos parlamentares e na área administrativa. O prédio também passará por um processo de higienização completo nesta quinta (18) e sexta-feira (19) – salas, gabinetes, prédio administrativo.

A decisão foi anunciada pela Mesa Executiva, nesta quarta-feira, 17, durante a sessão plenária, após o aumento dos casos da doença entre servidores. O Serviço Médico da Assembleia Legislativa monitora 14 casos confirmados e 11 que aguardam o resultado do exame, entre deputados, servidores e funcionários terceirizados. Todos estão em isolamento, inclusive o líder do governo, deputado Hussein Bakri (PSD) que teve a confirmação de que está com a covid-19 na semana passada.

O presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), disse que as medidas precisam ser tomadas para garantir a continuidade das sessões remotas sem colocar em risco a equipe. “Faremos uma higienização em todos os gabinetes da Assembleia. É recorrente nos anúncios feitos pelas autoridades que a questão está se agravando. Portanto, nós precisamos tomar medidas para a proteção dos servidores da Casa”, comunicou Traiano.

O primeiro secretário, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), disse que a Mesa Executiva vai restringir ainda mais o acesso à Assembleia Legislativa, permanecendo em trabalho presencial somente os servidores que precisam realizar as atividades no prédio. “Nós vamos editar um novo Ato da Mesa Executiva reduzindo o número de servidores por gabinete e vamos reduzir ainda mais as diretorias, deixando apenas as pessoas que são absolutamente essenciais. Entende-se que os próximos 14 dias será talvez o período de maior transmissão do vírus. A Mesa Executiva pede a compreensão de todos para que nós possamos ter de fato a segurança em relação ao que nós estamos fazendo”, ponderou, complementando que a presença do presidente e do primeiro secretário em plenário é essencial para a condução da sessão.

Desde o dia 17 de março é permitido no máximo três servidores em trabalho presencial por gabinete. Esse número será reduzido a apenas um servidor por gabinete e o revezamento será permitido apenas em dias alternados, evitando assim o contato direto. Nos setores administrativos, o efetivo que já estava reduzido em 50%, pelo menos, ficará limitado apenas ao número estritamente necessário para a manutenção dos serviços no período.

Traiano alertou sobre a importância de reduzir o fluxo de pessoas que circulam pela Casa e pediu a colaboração dos parlamentares no cumprimento das medidas. “A partir de segunda-feira não vamos mais permitir o ingresso de nenhuma pessoa de fora. É importante que avisem prefeitos e vereadores para que não venham aqui, porque o nosso objetivo é proteger nossos servidores”, alertou.

A possibilidade de suspensão dos trabalhos presenciais na Assembleia foi discutida, inclusive com o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, e não está descartada caso a pandemia se agrave ainda mais no Estado. “Se necessário for e a situação se agravar, realmente nós vamos tomar medidas mais duras do que estas. É importante termos a consciência de que a diminuição do fluxo de pessoas aqui ajuda e muito”, considerou Traiano. Já Romanelli lembrou que, no momento, alguns serviços ainda precisam ser presenciais. “Nós dependemos dos nossos servidores e de toda a estrutura tecnológica que nós dispomos aqui”.

Monitoramento – Todas as pessoas que apresentaram sintomas da doença, tiveram contato com pacientes com a covid-19 confirmada ou com casos suspeitos são monitorados pelo Serviço Médico da Assembleia Legislativa do Paraná.

Além de serem colocadas em isolamento domiciliar imediato, os parlamentares e servidores com suspeita da doença são submetidos a exames.

Desde março a Mesa Executiva da Assembleia Legislativa do Paraná vem adotando medidas preventivas ao coronavírus. A primeira decisão foi pela suspensão de atividades que resultassem em aglomeração de pessoas, como as audiências públicas e sessões solenes, que não são realizadas desde 12 de março. O acesso à Casa também foi restrito. Em 17 de março, todos os servidores que fazem parte do grupo de risco da COVID-19 foram dispensados do trabalho presencial e passaram a exercer suas atividades diárias em casa, as equipes que permaneceram trabalhando foram reduzidas e as medidas de prevenção e controle de acesso à Casa foram ampliadas com a verificação de temperatura em todos que circulam no prédio.

Em 23 de março, os deputados realizaram a primeira sessão remota da história da Assembleia Legislativa do Paraná e aprovaram a regulamentação do teletrabalho para os servidores.

O uso da máscara de proteção é obrigatório em todos os ambientes da Assembleia Legislativa desde 22 de abril. A medida de prevenção foi adotada internamente antes mesmo de virar lei estadual, assim como a medição de temperatura de todas as pessoas que entram ao Legislativo. “Aqui na Assembleia instituímos, desde o início, a medição de temperatura e foi de grande utilidade para a identificação de pessoas em estado febril e, efetivamente que tinha a covid ou outra enfermidade”, disse Romanelli.

Postar um comentário

0 Comentários