China deverá ser processada em 6,5 trilhões de dólares, segundo relatório Britânico



Londres: A China deve ser processada sob a lei internacional por trilhões de dólares por seu acobertamento inicial da pandemia de coronavírus, que causou mais de 60.000 mortes e trilhões de dólares em danos econômicos, diz um novo relatório.

O relatório disse que os danos devem ser gastos pelo menos nos US $ 3,2 trilhões (US $ 6,5 trilhões) gastos pelas nações do G7, sustentando suas economias domésticas, à medida que os governos obrigam seus cidadãos a ficar em casa para tentar conter a propagação da doença.

E destacou os US $ 130 bilhões em apoio do governo do primeiro-ministro Scott Morrison, sem precedentes, para trabalhadores e empresas, dizendo que os australianos também deveriam pelo menos esse valor em compensação.

Figuras chinesas, incluindo o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, endossaram alegações especulativas e infundadas de que o vírus foi importado para Wuhan pelas forças armadas dos Estados Unidos, em vez de emergir no Mercado Atacadista de Frutos do Mar de Huanan, onde eram comercializados animais vivos e selvagens.

Segundo o relatório, compensação de coronavírus? pelo conservador grupo de estudos de Londres The Henry Jackson Society, China poderia ser processada sob 10 possíveis vias legais, incluindo o Regulamento Sanitário Internacional, que foi reforçado após o surto de SARS, que a China também tentou encobrir.

Segundo o relatório, se a China fornecesse informações precisas em um momento inicial, “a infecção não teria deixado a China“.

A China só informou a doença à OMS em 31 de dezembro e disse que não havia evidências de transmissão de homem para homem.

No entanto, médicos denunciantes, incluindo Li Wenliang, foram repreendidos por levantar o alerta. Alguns estavam confiantes de que a doença estava se espalhando entre humanos antes desta data.

A reportagem do South China Morning Post citou documentos do governo chinês que identificaram quase 200 casos de coronavírus até 27 de dezembro.

O Regulamento Sanitário Internacional diz que as nações devem monitorar e compartilhar dados relacionados à disseminação, gravidade e transmissão de quaisquer patógenos potencialmente transmissíveis internacionalmente.

Via Terça Livre

Postar um comentário

0 Comentários